Destaque SAÚDE MUNICIPAL

Com déficit em cirurgias eletivas, Prefeitura de Imperatriz anuncia o retorno das cirurgias em fevereiro

A retomada das cirurgias geral, urológica e otorrino, foram divulgadas nesta quinta-feira (07), em uma reunião realizada pela secretaria de Saúde, Mariana Jales, na Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS).

08/01/2021 14h30 Atualizada há 7 meses
21.459
Por: Willamy Figueira
Cirurgias serão retomadas em fevereiro deste ano (Foto: Divulgação/Arquivo)
Cirurgias serão retomadas em fevereiro deste ano (Foto: Divulgação/Arquivo)

A Prefeitura Municipal de Imperatriz, através da Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), anunciou nesta quinta-feira (07), o retorno das "cirurgias eletivas" no município a partir do início de fevereiro. As volta das cirurgias segundo a secretaria, será cirurgias gerais, de urologia e de otorrino.

A Secretaria Municipal de Saúde, afirma que faz me média, cerca de 600 a 800 cirurgias por mês no Hospital Municipal de Imperatriz (Socorrão), mas de acordo Promotor de Justiça Newton de Barros Bello Neto, o município tem um déficit na realização de cirurgias feitas pela prefeitura e não é por conta que todo o país enfrenta uma Pandemia do novo Coronavírus.

Em meados de 2019, Ministério Público do Maranhão (MP-MA) entrou com várias ações na Justiça pedindo o restabelecimento dos serviços de cirurgias. O MP juntamente com a Defensoria Pública chegaram a realizarem audiência pública em tentativa de normalizar os serviços de saúde em Imperatriz. Os órgãos receberam diversas reclamações relacionadas a falta de insumos, medicamentos, órteses e próteses, o que refletiu na suspensão ou redução de cirurgias eletivas e de aneurisma.

De acordo com secretária de Saúde, já foi feito um levantamento das cirurgias que estão na fila de espera e o maior déficit, são cirurgias gerais (hérnias e vesícula), urológicas, otorrino e geral-pediátrica, ao qual inclui cirurgias em crianças de diversas idades. Para conseguir atualmente uma cirurgia na rede pública de saúde municipal, leva meses, já que os pacientes são encaminhados para agendamentos no Centro de Especialidades Médicas Três Poderes, (CEMI) e em seguida ficam na lista de espera, acarretando desconforto por parte de quem precisa fazer uma cirurgia.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.