Jornal Imperatriz - O portal de notícias de Imperatriz

Sabado, 22 de Junho de 2024
Topo Materias
Topo Materias

Saúde

Imperatriz é uma das três cidades maranhenses com alto índice de infecções por HIV/Aids

Segundo o Ministério da Saúde, Imperatriz, São José Ribamar e São Luís são prioritários no Programa Brasil Saudável, que pretende eliminar infecções e doenças como tuberculose, hanseníase, HIV/Aids e malária, que acometem populações em vulnerabilidade social.

Natalha Vieira
Por Natalha Vieira
Imperatriz é uma das três cidades maranhenses com alto índice de infecções por HIV/Aids
Foto: Divulgação/Shutterstock
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

O Ministério da Saúde lançou no início de fevereiro, políticas governamentais para eliminar ou reduzir, como problemas de saúde pública, 14 doenças e infecções que acometem, de forma mais intensa, as populações em situação de maior vulnerabilidade social. As cidades maranhenses Imperatriz, São José Ribamar e São Luís estão no rol das 175 cidades que são consideradas prioritárias no "Programa Brasil Saudável" por possuírem alto índices de infecções tuberculose, hanseníase, HIV/Aids e malária.

Nos últimos cinco anos, em Imperatriz, 1121 pessoas foram diagnosticadas com o vírus e 136 pessoas morreram tendo o HIV como a causa principal. E só em 2023, foi diagnosticado pela Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), 226 novos casos.

Leia Também:

Com a iniciativa do Ministério da Saúde, o país estabelece um marco internacional, alinhado à OMS, às metas globais estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU) por meio dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 e à iniciativa da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) para a eliminação de doenças nas Américas.

Nesse sentido, por meio do novo programa, o Ministério da Saúde e outros 13 ministérios do governo federal vão atuar em diversas frentes, com foco no enfrentamento à fome e à pobreza; ampliação dos direitos humanos e proteção social para populações e territórios prioritários; qualificação de trabalhadores, movimentos sociais e sociedade civil; incentivo à inovação científica e tecnológica para diagnóstico e tratamento; e ampliação das ações de infraestrutura e de saneamento básico e ambiental.

A partir dessas diretrizes, a expectativa é que os grupos mais vulnerabilizados tenham menos risco de adoecimento e que as pessoas atingidas pelas doenças e infecções possam realizar o tratamento de forma adequada, com menos custos e melhores resultados na rede de profissionais e serviços de saúde.

Comentários:
Natalha Vieira

Publicado por:

Natalha Vieira

Natalha Vieira da Cruz é jornalista, administradora de empresas, tem 31 anos e faz parte do núcleo de pessoas que fundou o Jornal Imperatriz.

Saiba Mais

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!